SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Esporte

Invasões de bárbaros comedores de azeite-de-dendê

Em 91 anos de história, cravo dizer: pela primeira vez uma diretoria do Bahia vai à polícia contra a sua torcida

Publicado

em

E não houve. No máximo, alguns bárbaros comedores de azeite-de-dendê emputecidos com o seu time desmontado, à deriva e rebaixado
Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Nestor Mendes Jr.

Em primeiro lugar, vou logo dizendo que sou contra a violência, fazer arminha e coisa e tal, mas acho toda a forma de protesto válida, desde que não ponha em risco a vida de qualquer pessoa.

Depois desse introito quase pacifista, vou direto ao ponto: a “invasão” do CT Evaristo de Macedo realizada pela Torcida Bamor, no último dia 8 de janeiro.

Pelo que foi registrado pelo próprio DADE do Bahêea – que devia estar cuidando do desempenho dos atletas e, agora sabemos, funciona também como uma espécie de polícia política – não houve depredação do patrimônio e, muito menos, qualquer tipo de violência física.

Tanto que não houve, que o volante Rezende – mais um: o clube parece ser uma escola de motoristas – disse que viu o episódio como “normal”. “Acho que é normal pelo tamanho do Bahia. Pela torcida ser muito apaixonada, acho uma cobrança normal”, declarou Rezende, em entrevista oficial, pondo um ponto final ao “assustado”.

Quem não passou a régua e fez questão de botar gasolina na fogueira foi a própria diretoria do clube.

Primeiro disparou uma nota oficial onde fez questão de caracterizar o ato da Bamor como “invasão”, jogando os holofotes totalmente para o lado negativo, como se houvesse ocorrido uma barbárie ou uma carnificina.

E não houve. No máximo, alguns bárbaros comedores de azeite-de-dendê emputecidos com o seu time desmontado, à deriva e rebaixado para a Segundona. É pouco?

E algum sábio do conselho da Hogwarts School, que hoje domina o Tricolor e o levou ao rebaixamento para a Segunda Divisão, ainda teve a audácia de fazer a atual diretoria registrar, na segunda-feira, 10 de janeiro, queixa na Polícia Civil contra os torcedores. Não foi um impulso de “cabeça quente”, mas um B.O. friamente calculado 48 horas depois do crime.

Como o entorno do atual mandatário Tricolor é formado por áulicos e néscios, desconhece até a história mais comezinha e contemporânea do Esquadrão. Como, em geral, são mesmo iletrados, poderiam mandar o DADE ir ao Google e fazer uma busca das duas mais recentes “invasões” ao CT. Uma em 20 de agosto de 2008; outra, em 12 de março de 2013, ambas ainda no Fazendão.

Nas duas, ainda ocorridas nos “tempos das trevas”, em plena ditadura no clube, os mandatários de plantão não chegaram a esta ousadia, de dar queixa na polícia contra um grupo de torcedores. Em 91 anos de história, cravo dizer: pela primeira vez uma diretoria do Bahia vai à polícia contra a sua torcida.

Porém, ao jogar para a Bamor o papel de algoz e tornar-se vítima, a atual direção deu mais um tiro no pé. Ou também terá que dar queixa na Polícia Civil dos torcedores que foram protestar ontem, 12 de janeiro, na porta da Morada dos Cardeais, no Campo Grande, onde reside o próprio Richelieu baiano, o arquiteto do absolutismo tricolor e professor de Deus.

Joguem suas mãos para o céu e agradeçam pela torcida do Bahêea ser constituída de enxamistas, mas, sobretudo, ser uma legião de sujeitos pacatos e ordeiros.

Não sou da Bamor, não faço parte de nenhuma torcida organizada, mas, neste momento, ela representa 99,9% da massa tricolor insatisfeita com a incompetência de quatro anos da atual gestão, baseada justamente na vitimização, no engodo e no cinismo.

A resposta da diretoria ao questionamento feito pelo ex-presidente Marcelo Sant’ana sobre um diretor-geral oculto do organograma e, pior, da folha do RH é risível, não fosse deveras preocupante sobre como hoje o Bahêea é uma nau sem rumo, com uma caixa-preta ultra-blindada.

O atual mandatário não teve a pachorra de responder ao seu antecessor. Botou o escalão inferior para rebater: “o Bahia não faz anúncios de contratações ou demissões de funcionários que não sejam relacionados ao departamento de futebol”. Com esta singela explicação se entende porque o Bahia gastou R$ 216 milhões em 2021 e conseguiu a proeza de ser rebaixado: os sábios da Hogwarts School de Dias D’ávila não conseguiram compreender, até hoje, que tudo, tudinho, é futebol no Esporte Clube Bahia.

A “invasão” da Bamor pode justamente ser o marco contra a incompetência e representar o começo do fim da má gestão no CT Evaristo de Macedo, como foi, na II Guerra, a Operação Overlord, de 6 de junho de 1944, codinome da Batalha da Normandia, a invasão bem-sucedida dos Aliados na Europa Ocidental, até então ocupada pelos alemães.

Portanto, “invasões” podem também ser benignas e bem-vindas.

“E é de batalhas que se vive a vida”, lembrando Raul, outro inigualável “invasor” e bárbaro comedor de azeite-de-dendê.

Nestor Mendes Jr., Jornalista, é sócio centenário do Esporte Clube Bahia.

Esporte

Gento, ídolo do Real Madri e maior campeão europeu, morre aos 88 anos

Único jogador da história a vencer seis Copas Europeias e 12 vezes campeão espanhol

Publicado

em

Francisco Gento, lenda do Real Madrid e o único jogador da história a vencer seis Copas Europeias e 12 vezes campeão espanhol, morreu nesta

Francisco Gento, lenda do Real Madrid e o único jogador da história a vencer seis vezes a Liga dos Campeões e 12 vezes campeão espanhol, morreu nesta terça-feira, aos 88 anos.

Gento era atualmente presidente honorário do Real Madrid, cargo que herdou de seu grande amigo e companheiro de equipe Alfredo di Stéfano. Duas lendas que fizeram do Real Madrid uma máquina vencedora na Espanha e na Europa, conquistando cinco Champions League consecutivas, um marco que ninguém conseguiu igualar.

Gento deixou o Real Madrid e o futebol na temporada 1970-71, com 23 títulos oficiais, um recorde que só depois de mais de meio século Marcelo conseguiu igualar com a última conquista da Supercopa da Espanha. Quase duas décadas de futebol a todo vapor pela ala esquerda do Real Madrid, velocidade que lhe valeu o apelido de La Galerna del Cantábrico.

Para quem não o viu jogar, o vídeo abaixo vai fazer você perceber por que ele foi classificado como o melhor lateral esquerdo do mundo. Velocidade, dribles e muitos gols ao serviço da equipe do Real Madrid.

Comunicado Oficial do falecimento

O Real Madrid CF, o seu presidente e o seu Conselho de Administração lamentam profundamente a morte de Francisco Gento, presidente honorário do Real Madrid e uma das maiores lendas do nosso clube e do futebol mundial.

O Real Madrid deseja expressar as suas condolências e o seu amor e carinho à sua esposa Mari Luz, aos seus filhos Francisco e Julio, às suas netas Aitana e Candela e a todos os seus familiares, colegas e entes queridos.

Continue Lendo

Esporte

COB anuncia 11 atletas para os Jogos de Inverno de Pequim

Os selecionados estão distribuídos por cinco modalidades: esqui cross country, esqui estilo livre, esqui alpino, skeleton e bobsled

Publicado

em

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou nesta segunda (17), os onze integrantes da delegação que vão representar o país nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim (China), de 4 a 20 de fevereiro.
Foto: Divulgação/COI

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou nesta segunda (17), os onze integrantes da delegação que vão representar o país nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim (China), de 4 a 20 de fevereiro.

Os selecionados estão distribuídos por cinco modalidades: esqui cross country, esqui estilo livre, esqui alpino, skeleton e bobsled.

A delegação brasileira possui alguns nomes experientes, como o de Jaqueline Mourão. A mineira de 46 anos vai para a oitava participação dela em Jogos Olímpicos, sendo seis de inverno e dois de verão (competiu no ciclismo mountain bike em Atenas 2004 e Pequim 2008, curiosamente onde volta a competir agora). Ela é um dos três nomes do esqui cross country, junto a Bruna Moura e Manex Silva. Mourão é a atleta brasileira com mais participações em Jogos Olímpicos.

Outro que retorna a Pequim depois de catorze anos – e com outro clima – é Jefferson Sabino. Em 2008, ele defendeu o Brasil no salto triplo. Agora, é um dos cinco integrantes do time brasileiro de bobsled, que também conta com Erick Vianna, Edson Martins, Rafael Souza e Edson Bindilatti. Este último vai à quinta Olimpíada de inverno da carreira. Ele declarou que esta será a derradeira.

Outros nomes da delegação são: Nicole Silveira, do skeleton, Michel Macedo, do esqui alpino e Sabrina Cass, do esqui estilo livre. Cass, de 19 anos, nasceu, cresceu e vive nos Estados Unidos, mas tem mãe brasileira. Competiu pela bandeira norte-americana por muito tempo – foi até campeã mundial juvenil em 2019 – mas passou a defender o Brasil no fim de 2021.

Segundo o cronograma do Comitê Olímpico do Brasil (COB), a partir do dia 20 integrantes da equipe operacional começam a viajar para a China, para fazer os preparativos nas duas vilas olímpicas que receberão atletas do país, em Yanqing (onde ficarão o bobsled, esqui alpino e skeleton) e Zhangjiakou (casa do esqui cross country e esqui estilo livre). A terceira vila, em Pequim, não terá nenhum atleta do Brasil. Ainda de acordo com o COB, a previsão é que os primeiros atletas brasileiros cheguem a partir do dia 27 e a delegação esteja completa no dia 29.

O Brasil esteve presente nas últimas oito edições dos Jogos Olímpicos de Inverno, a partir de 1992, mas nunca obteve um pódio. A maior delegação que o país já levou à competição foi em Sochi, na Rússia, em 2014, quando contou com 13 atletas.

Continue Lendo

Esporte

Djokovic também pode perder Roland Garros

O Parlamento francês aprovou no domingo (16) uma lei que exige certificado de vacinação para entrar em locais públicos

Publicado

em

O tenista número um do mundo, Novak Djokovic, pode ser impedido de jogar no Aberto da França se as coisas permanecerem como estão agora

O tenista número um do mundo, Novak Djokovic, pode ser impedido de jogar no Aberto da França se as coisas permanecerem como estão agora depois do Ministério dos Esportes da França afirmar nesta segunda-feira (17) que não haveria isenção ao atleta da nova lei francesa sobre passaporte de vacina.

Djokovic, que não foi vacinado contra a Covid-19, foi deportado da Austrália no domingo (16) antes do primeiro torneio de Grand Slam do ano, o Aberto da Austrália, após perder um processo judicial para que o cancelamento de seu visto fosse anulado.

A lei francesa sobre passaporte de vacinas, aprovada pelo Parlamento no domingo (16), exigirá que as pessoas tenham um certificado de vacinação para entrar em locais públicos, como restaurantes, cafés, cinemas e trens de longa distância.

“A regra é simples. O passaporte de vacina será imposto, assim que a lei for promulgada, nos estabelecimentos que já estavam sujeitos ao passaporte sanitário”, disse o ministério. “Isto se aplicará a todos que são espectadores ou esportistas profissionais. E isto até segunda ordem”. “Agora, no que diz respeito a Roland Garros, é em maio. A situação pode mudar até lá e esperamos que seja mais favorável. Veremos, mas claramente não há isenção.”

O sérvio Djokovic, que foi impedido de buscar seu 21º título de um torneio de Grand Slam, um recorde masculino, no Aberto da Austrália, recusou-se a tomar a vacina contra a Covid-19 e foi criticado por participar de eventos públicos no mês passado, após ter um teste positivo para o coronavírus.

Continue Lendo

Mais Lidas