SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Economia

SDE publica consulta pública para concessão da Ceasa

A concessão será para um período de 35 anos, e concessionário ficará responsável por realizar melhorias na Central de Abastecimento

Publicado

em

contrato e demais anexos, relativos à concessão para gestão, ampliação, modernização e manutenção da Central de Abastecimento (Ceasa/Ba).
Foto: Rodrigo Castro

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) publicou no Diário Oficial do Estado (DOE), desta terça-feira (6), uma consulta pública para receber contribuições, críticas e sugestões quanto ao edital, contrato e demais anexos, relativos à concessão para gestão, ampliação, modernização e manutenção da Central de Abastecimento (Ceasa/Ba).

Segundo a SDE, a concessão será para um período de 35 anos, e prevê que o futuro concessionário ficará responsável por construir quatro novos galpões, uma praça de alimentação, um prédio logístico de funcionários, um novo frigorífico, reforma dos cinco galpões, ampliação da área de carga e descarga, implantação de estacionamentos e área de convivência.

O regulamento e a documentação objeto da consulta pública podem ser obtidos no Concessão da Ceasa Salvador.

A consulta se iniciou às 8h de hoje e termina às 23h59 do dia 15 de agosto. Os comentários e sugestões que contribuirão para o aprimoramento do processo de licitação serão sistematizadas pela Comissão de Planejamento, Coordenação e Supervisão do processo referente à Concessão da Ceasa/Ba.

Economia

Volume de serviços na Bahia cresce 1,7% em agosto

O mês de agosto do ano corrente foi marcado pela retomada das atividades econômicas

Publicado

em

O volume de serviços na Bahia teve crescimento de 1,7% na comparação com o mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal. As informações analisadas na quinta-feira (14) pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan), constam na Pesquisa Mensal de Serviços, realizada pelo IBGE.
Foto: Helena Pontes/IBGE Notícias

O volume de serviços na Bahia teve crescimento de 1,7% na comparação com o mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal. As informações analisadas na quinta-feira (14) pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan), constam na Pesquisa Mensal de Serviços, realizada pelo IBGE.

Nessa análise a Bahia resultado seguiu o mesmo comportamento da média nacional (0,5%), e recuperou boa parte da perda acumulada (-1,0%), entre junho (-0,3%) e julho (-0,7%). É importante destacar, que o mês de agosto do ano corrente foi marcado pela retomada das atividades econômicas, que foram contidas nos meses anteriores, contribuindo para a aceleração do setor em relação a julho.

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o volume de serviços na Bahia avançou 26,8%. Quatro das cinco atividades puxaram o volume de serviços para cima, com destaque para as atividades de Serviços prestados às famílias (189,8%), que contabilizou a quinta variação positiva consecutiva mais expressiva e maior alta da série iniciada em 2012, para os meses de agosto. Essa atividade também apresentou resultado superior àquele observado no mesmo mês do ano anterior (-67,4%). Seguida pela atividade de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (31,3%), que também, registrou variação positiva significativa, sendo a quinta maior alta da série iniciada em 2012, e a sexta variação positiva consecutiva para esse ano. É importante destacar que o resultado da Bahia é superior à variação registrada pelo Brasil (16,7%).

O indicador no acumulado no ano ampliou 11,6%, puxado pela atividade de Serviços prestados às famílias (40,2%), que apontou a mais expressiva variação positiva, seguida por Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (18,0%). E, no indicador do acumulado nos últimos 12 meses cresceu 4,4%, impulsionado principalmente, por Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (11,1%).

Com relação à receita nominal de serviços, houve expansão de 32,3% na comparação com agosto de 2020. O indicador no acumulado no ano ampliou 13,2% e o indicador no acumulado nos últimos 12 meses cresceu 5,4%.

Turismo

No que tange ao volume das atividades turísticas, na comparação com o mês imediatamente anterior, a atividade apresentou expansão de 1,4%, resultado superior à média nacional (4,6%), motivada principalmente, pela manutenção do funcionamento de hotéis, pousadas e demais estabelecimentos de alojamento, templos religiosos e igrejas, clubes sociais, recreativos e esportivos, contribuindo para atração e movimentação de turistas no estado.

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o volume das atividades turísticas na Bahia expandiu 151,2%. É importante ressaltar que, em termos de variação, a Bahia contabilizou a taxa mais expressiva, seguido por Pernambuco (118,8%), e Rio Grande do Sul (95,4%). Esse resultado se deve, em parte, à queda de 62,7% registrada em agosto do ano passado e pela retomada da maioria das atividades econômicas relacionadas ao setor.

Com relação à receita nominal, houve expansão de 156,7% na comparação com agosto de 2020. O indicador no acumulado no ano ampliou 34,1% e o indicador no acumulado nos últimos 12 meses cresceu 3,7%.

Continue Lendo

Economia

Exportações Baianas crescem 49,6% em setembro

O resultado foi impulsionado pela retomada da atividade econômica no mundo, com avanço da vacinação contra a Covid-19

Publicado

em

As exportações baianas alcançaram US$ 946,3 milhões no mês passado, atingindo o maior valor do ano e o melhor setembro desde 2014, com

As exportações baianas alcançaram US$ 946,3 milhões no mês passado, atingindo o maior valor do ano e o melhor setembro desde 2014, com crescimento de 49,6% em relação ao registrado no mesmo período de 2020. O resultado foi impulsionado pela retomada da atividade econômica no mundo, com avanço da vacinação contra o coronavírus e o arrefecimento da pandemia. As informações foram analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria de Planejamento (Seplan).

As exportações seguem em setembro com crescimento dos volumes exportados (quantum), tanto no mês (32%) como em relação ao segundo trimestre (6,8%). No acumulado do ano, entretanto, já há uma redução das quantidades embarcadas de 1,2%, reflexo do crescente aumento de riscos que ameaçam desacelerar a recuperação global. Os preços também já acusam uma desaceleração de 1,3% na comparação com o segundo trimestre, embora no comparativo com o mesmo mês do ano anterior, o incremento das vendas externas, permaneça muito influenciado pela valorização dos produtos, que em média, acusam incremento de 47%.

No ano, as exportações baianas atingiram US$ 7,23 bilhões, com crescimento de 29,3% quando comparadas a igual período do ano anterior. Além da continuidade de crescimento das vendas para a China (38%), as exportações tiveram impulso de regiões que haviam reduzido as compras de produtos baianos durante a fase aguda da crise sanitária em 2020 e que voltaram a comprar mais, como Estados Unidos com aumento de 36% e da União Europeia (57%).

Por setor de atividade, a indústria de transformação apresentou em setembro crescimento de 45%, puxada pela petroquímica que teve incremento nas vendas de 176,4%, seguido pelo setor metalúrgico com alta de 112,8%, todos em relação ao mesmo mês de 2020

As exportações na agropecuária cresceram 60,5% lideradas pela soja em grão com incremento de 74,5% e do algodão com aumento de 31,2%. A agroindústria por sua vez, teve aumento de 63,6% na mesma base de comparação.

Continue Lendo

Economia

Gasolina e gás de cozinha têm novo aumento

Segundo os dados do IPCA, divulgados pelo IBGE, nos últimos 12 meses a gasolina subiu 39,6% e o gás de cozinha 34,67%

Publicado

em

A gasolina e o gás de cozinha ficam mais caros para as distribuidoras a partir deste sábado (9). O aumento praticado pela Petrobras é de 7,2 em cada produto. Segundo a companhia, o preço médio da gasolina passa de R$ 2,78 para R$ 2,98 por litro, refletindo reajuste médio de R$ 0,20 por litro.
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A gasolina e o gás de cozinha ficam mais caros para as distribuidoras a partir deste sábado (9). O aumento praticado pela Petrobras é de 7,2% em cada produto. Segundo a companhia, o preço médio da gasolina passa de R$ 2,78 para R$ 2,98 por litro, refletindo reajuste médio de R$ 0,20 por litro.

Já para o GLP, o preço médio passa de R$ 3,60 para R$ 3,86 por kg, equivalente a R$ 50,15 por botijão de 13kg, refletindo reajuste médio de R$ 0,26 por kg.

Considerando a mistura obrigatória de 27% de etanol anidro e 73% de gasolina A para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço da gasolina na bomba passa a ser de R$ 2,18 por litro em média, o que corresponde a um aumento de R$ 0,15 por litro.

A Petrobras não anunciou reajuste nos preços dos demais combustíveis. No final de setembro, a estatal reajustou o preço do diesel em 8,89%, após 85 dias de preços estáveis para o combustível.

De acordo com os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) divulgados pelo IBGE, no acumulado dos últimos 12 meses, a gasolina subiu 39,6% no país e o gás de botijão avançou 34,67%.

Em seu anúncio, a Petrobras destacou que aplica o reajuste sobre o GLP “após 95 dias com preços estáveis, nos quais a empresa evitou o repasse imediato para os preços internos da volatilidade externa causada por eventos conjunturais”. Já para a gasolina A, o período de estabilidade foi de 58 dias, segundo a empresa.

A companhia afirmou que elevação reflete os patamares internacionais de preços de petróleo, “impactados pela oferta limitada frente ao crescimento da demanda mundial”, e a taxa de câmbio, “dado o fortalecimento do dólar em âmbito global”.

Continue Lendo

Mais Lidas