SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Saúde

Covid-19 representa 41% dos casos de síndrome respiratória grave

Segundo ele, 36% do total de casos da síndrome são de vírus sincicial respiratório (VSR), que atinge fundamentalmente crianças pequenas

Publicado

em

Os casos de Covid-19 voltaram a predominar entre as ocorrências com resultado laboratorial positivo para vírus respiratórios. Atualmente, eles correspondem a 41,8% dos casos, registrados nas últimas quatro semanas epidemiológicas. No momento, a covid-19 ressurge como a principal causa de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) entre os resultados positivos de SRAG. A análise foi divulgada pela Fundação Oswaldo Cruz, nesta sexta-feira (20), referente à semana epidemiológica 19, entre 8 e 14 de maio.
Foto: Bruno Concha/Secom

Os casos de Covid-19 voltaram a predominar entre as ocorrências com resultado laboratorial positivo para vírus respiratórios. Atualmente, eles correspondem a 41,8% dos casos, registrados nas últimas quatro semanas epidemiológicas. No momento, a Covid-19 ressurge como a principal causa de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) entre os resultados positivos de SRAG. A análise foi divulgada pela Fundação Oswaldo Cruz, nesta sexta-feira (20), referente à semana epidemiológica 19, entre 8 e 14 de maio.

Os dados fazem parte do novo Boletim InfoGripe da Fiocruz. Segundo ele, 36% do total de casos da síndrome são de vírus sincicial respiratório (VSR), que atinge fundamentalmente crianças pequenas. “Nas quatro últimas semanas epidemiológicas, a prevalência entre as notificações com resultado positivo para vírus respiratórios foi de 3,2% para Influenza A; 0,4% para Influenza B; 36,5% para VSR; e 41,8% para Sars-Cov-2 [covid-19]. Em relação aos óbitos, a presença destes vírus entre os casos positivos foi de 4,6% para Influenza A; 0,7% para Influenza B; 6,6% para VSR; e 79,5% para Sars-Cov-2”, destacou o boletim.

Diante do novo cenário, que aponta aumento de casos de SRAG na população adulta, o pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe, recomenda atenção especial na rede laboratorial de todo o território nacional para que haja identificação adequada de vírus associados a essa mudança de tendência recente, em particular para diferenciação entre casos de covid-19 e influenza.

A íntegra do boletim pode ser acessada na página da Fiocruz na internet.

Saúde

Bahia registra 1.315 casos de Covid-19 e mais 1 óbito

Do público de 5 a 11 anos, 966.159 crianças já foram imunizadas com a primeira dose

Publicado

em

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.315 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,08%), 853 recuperados (+0,06%)
Foto: Jefferson Peixoto/SecomPMS

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.315 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,08%), 853 recuperados (+0,06%) e um óbito. Dos 1.566.215 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.529.571 já são considerados recuperados, 6.633 encontram-se ativos e 30.011 tiveram óbito confirmado.

Os dados ainda podem sofrer alterações devido à instabilidade do sistema do Ministério da Saúde. A base ministerial tem, eventualmente, disponibilizado informações inconsistentes ou incompletas.

boletim epidemiológico desta sexta-feira (24) contabiliza ainda 1.905.278 casos descartados e 340.964 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até às 17 horas desta sexta-feira. Na Bahia, 64.266 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Vacinação

Até o momento temos 11.628.902 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.679.916 com a segunda dose ou dose única, 6.240.694 com a dose de reforço e 595.491 com o segundo reforço. Do público de 5 a 11 anos, 966.159 crianças já foram imunizadas com a primeira dose e 545.973 já tomaram também a segunda dose.

Continue Lendo

Saúde

Brasil confirma 11º caso de varíola dos macacos

São três casos a mais do que dois dias atrás e outras possibilidades estão sendo investigadas

Publicado

em

O Brasil confirmou na quarta-feira (22) o 11º caso de varíola dos macacos, segundo informações do Ministério da Saúde. São três casos a mais do que dois dias atrás e outras possibilidades estão sendo investigadas.

O Brasil confirmou na quarta-feira (22) o 11º caso de varíola dos macacos, segundo informações do Ministério da Saúde. São três casos a mais do que dois dias atrás e outras possibilidades estão sendo investigadas.

“O Ministério da Saúde informa que, até o momento, 11 casos de monkeypox foram confirmados no Brasil, sendo sete no Estado de São Paulo, dois no Rio de Janeiro e dois no Rio Grande do Sul”, explicou a Pasta, que não forneceu mais detalhes sobre os novos casos.

Entre as confirmações anteriores, todos tiveram contato com pessoas na Europa, continente que teve o primeiro caso detectado em maio, de uma pessoa que retornava à Inglaterra após uma viagem à Nigéria. A doença é endêmica na África Ocidental e Central e raramente se espalhava para outros locais. Desde então, países da Europa, assim como Estados Unidos, Canadá e Austrália, confirmaram casos.

“SP tem sete casos confirmados da monkeypox, sendo três em São Paulo, dois em Indaiatuba, um em Santo André e outro em Vinhedo. Todos os casos são importados, com histórico de viagem para a Europa. Os pacientes estão com boa evolução do quadro, em isolamento residencial e estão são acompanhados pelas vigilâncias epidemiológicas dos seus respectivos municípios, com o apoio do Estado”, explicou a Secretaria de Estado da Saúde.

Na cidade de São Paulo, os casos de varíola dos macacos confirmados incluem um homem de 31 anos, com passagem recente pela Europa, e outro homem, de 41 anos, que esteve em Portugal e na Espanha. Outro episódio ocorreu com um morador de Vinhedo, de 29 anos, que também havia viajado para a Europa.

“O Ministério da Saúde, por meio da Sala de Situação e CIEVS Nacional, segue em articulação direta com os Estados para monitoramento dos casos e rastreamento dos contatos dos pacientes. Outros dez casos seguem em investigação nos Estados do Ceará (2), Rio de Janeiro (4), Santa Catarina (1), Acre (1) e Rio Grande do Sul (2)”, afirmou.

Continue Lendo

Saúde

Pessoas com 40+ recebem 4ª dose da vacina

Para garantir maior segurança durante os festejos juninos, houve uma grande procura do público elegível a fim de receber o imunizante

Publicado

em

Salvador, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), iniciou a aplicação da 4ª dose da vacina contra
Foto: Bruno Concha/SecomPMS

A Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), iniciou a aplicação da 4ª dose da vacina contra Covid-19 para pessoas com 40 anos ou mais, nesta quarta-feira (22). Para garantir maior segurança durante os festejos juninos, houve uma grande procura do público elegível a fim de receber o imunizante, nos postos de atendimento, que funcionaram das 8h às 16h.

Durante o dia, foram vacinadas cerca de 2,5 mil pessoas, no drive-thru e no ponto fixo do 5º Centro de Saúde, nos Barris. A gerente da unidade, Jamile Oliveira destacou a importância da vacinação. “A completude da carteira vacinal é a medida de proteção mais ativa que nós temos. Por perceber que as pessoas de 30 a 40 anos são as que menos procuram a vacina, houve essa iniciativa da SMS para atendimento deste público. Nesse momento, há uma grande demanda, inclusive de pessoas que não tomaram a 2ª e 3ª doses”, afirmou.

Ao receber a 4a dose da vacina contra a Covid-19, Joelma Ribeiro, de 45 anos, relembrou as mortes causadas pelo vírus. “Acho muito importante receber a dose de reforço, sobretudo nesse momento, em que há o crescimento dos casos. A pandemia não acabou, as pessoas devem procurar os postos de saúde e completar o ciclo vacinal para evitar a gravidade da doença. Infelizmente, já perdemos muitas vidas para o coronavírus, e somente a vacinação pode barrar esses dados lastimáveis.”

A cuidadora de idoso, Adriana Gomes, de 48 anos, afirmou que foi tomar o reforço da vacina antes do São João, para garantir maior segurança durante os festejos. “Eu vou viajar para curtir as festas juninas no interior e nada melhor do que se prevenir contra a Covid. A gente sabe que a vacina salva vidas, é uma proteção eficaz. Todos os habilitados procurem os postos e se blindem contra esse vírus maldito”, alertou.

A estratégia desta quarta também contemplou a 1ª, 2ª e 3ª doses para os demais públicos elegíveis para a vacinação. Devido ao feriado prolongado de São João, a campanha terá uma pausa nesta quinta-feira (23), sendo retomada na segunda-feira (27).

Continue Lendo

Mais Lidas