SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Internacional

Alemanha estuda implantar vacinação obrigatória

As autoridades alemãs disseram que 73.209 novos casos foram registrados nas últimas 24 horas

Publicado

em

A vacinação pode se tornar obrigatória na Alemanha a partir de fevereiro, com duras restrições extras também se aplicando a pessoas que não
Chanceler alemã, Angela Merkel e o seu sucessor Olaf Scholz

A vacinação pode se tornar obrigatória na Alemanha a partir de fevereiro, com duras restrições extras também se aplicando a pessoas que não foram vacinadas, anunciou a chanceler do país, Angela Merkel.

Merkel, que se encontrou com 16 líderes estaduais da Alemanha na quinta-feira (2) com seu sucessor, Olaf Scholz, para conversas emergenciais sobre medidas mais duras para conter os casos de Covid-19 em alta, disse que a situação é “muito séria” e um “ato de solidariedade nacional” é necessário.

“Entendemos que a situação é muito grave e queremos tomar outras medidas além das já tomadas”, disse ela. “Para fazer isso, a quarta onda deve ser quebrada e isso ainda não foi alcançado”.

Ela disse que o parlamento alemão, o Bundestag, votará primeiro a proposta da vacina, com o conselho de ética do país a emitir orientações formais até o final do ano, e a regra – se aprovada – entrará em vigor a partir de fevereiro.

A mudança seguiria o exemplo da vizinha Áustria, que planeja vacinas obrigatórias a partir de fevereiro. A Grécia também anunciou a obrigatoriedade de imunização para maiores de 60 anos, com pessoas não vacinadas enfrentando multas se não cumprirem as regras.

Novas infecções diárias na Alemanha quebraram recordes nas últimas semanas, com muitos hospitais operando na capacidade máxima ou excedida e forçados a enviar pacientes para tratamento em outros lugares. As autoridades disseram que 73.209 novos casos foram registrados nas últimas 24 horas.

Internacional

Em Davos, 100 milionários pedem para pagar mais impostos

Segundo a Oxfam, os 2.660 bilionários que existem no mundo têm um nível de riqueza equivalente ao PIB anual chinês

Publicado

em

riqueza dos mais ricos para arrecadar receitas para reduzir a pobreza e diminuir as desigualdades. É esta a solução sugerida por mais de 100 milionários

Aumentar os impostos sobre a riqueza dos mais ricos para arrecadar receitas para reduzir a pobreza e diminuir as desigualdades. É esta a solução sugerida por mais de 100 milionários de nove países diferentes que publicaram nesta quarta-feira (19) uma carta aberta direcionada a governos e líderes empresariais, de acordo com um comunicado da Oxfam. O objetivo é influenciar as discussões de Davos, cuja edição online ocorre até 21 de janeiro.

Estes milionários juntam-se assim a outros pedidos nos últimos anos por parte de algumas das pessoas mais ricas do mundo para que os Estados tributem mais a riqueza, principalmente na ressaca do impacto da crise pandêmica, um período em que os dez homens mais ricos mais do que duplicaram as suas fortunas para um total de US$1,5 bilhão. Segundo a Oxfam, os 2.660 bilionários que existem no mundo têm um nível de riqueza equivalente ao PIB anual chinês.

De acordo com a análise feita pela Oxfam em conjunto com a Fight Inequality Alliance, o Institute for Policy Studies e os the Patriotic Millionaires, um imposto sobre a riqueza – à semelhança do que era proposto pela senadora Elizabeth Warren nas primárias do Partido Democrata em 2020 – de 2% para os milionários e de 5% para os bilionários iria gerar receitas de 2,52 bilhões de euros por ano.

“Tributem-nos a nós, os ricos, e tributem-nos já“, escrevem os signatários desta carta onde se argumenta que o mundo passou por um período de grande sofrimento nos últimos dois anos e, ao mesmo tempo, os mais ricos viram a sua riqueza aumentar sem pagar a sua quota justa de impostos.

Se os políticos e os CEO continuarem a ignorar esta “solução simples e eficaz”, os cidadãos em todo o mundo “continuarão a ver a sua alegada dedicação à resolução dos problemas do mundo como pouco mais do que uma performance”, acrescentam. Entre os signatários estão milionários e bilionários dos Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha.

Continue Lendo

Internacional

Cantora tcheca morre após contrair covid propositalmente

Segundo o filho, a cantora morreu em casa, com falta de ar

Publicado

em

Uma cantora da banda tcheca de música folclórica Asonance, Hana Horka morreu no domingo (16) de complicações causadas pela Covid-19 após decidir se infectar para obter certificado de imunidade, sem ter se vacinado. 
Foto: Reprodução PRIMA News

Uma cantora da banda tcheca de música folclórica Asonance, Hana Horka morreu no domingo (16) de complicações causadas pela Covid-19 após decidir se infectar para obter certificado de imunidade, sem ter se vacinado.

Antivacina, ela teria se deixado contaminar pela doença quando o filho e o marido — ambos vacinados contra o vírus — tiveram resultado positivo. A morte da cantora, que tinha 57 anos, foi divulgada pela família na segunda-feira (17).

Segundo o filho da cantora, Jan Rek, em entrevista à rádio “iRozhlas”, ele e o pai contraíram a doença no final do ano passado. A sua mãe havia tido resultado negativo no teste e decidiu expor-se ao vírus deliberadamente. O objetivo era conseguir se contaminar e, depois de curada, obter o certificado de imunidade usado no país que a permitiria frequentar alguns estabelecimentos sem ter de se vacinar.

“Ela preferiu viver normalmente conosco e pegar a doença para não ter que se vacinar. É triste que ela quis mais acreditar em estranhos do que em sua própria família”, disse Jan Rek durante o programa de rádio.

Segundo o relato de Rek, sua mãe morreu em casa, com falta de ar. Dias antes, ela chegou a fazer publicações nas redes sociais comemorando a infecção: “Estou muito feliz porque, desta forma, poderei ter uma ‘vida livre’ como os outros, ir ao cinema, tirar férias, ir à sauna, ao teatro.”, escreveu.

Continue Lendo

Esporte

Gento, ídolo do Real Madri e maior campeão europeu, morre aos 88 anos

Único jogador da história a vencer seis Copas Europeias e 12 vezes campeão espanhol

Publicado

em

Francisco Gento, lenda do Real Madrid e o único jogador da história a vencer seis Copas Europeias e 12 vezes campeão espanhol, morreu nesta

Francisco Gento, lenda do Real Madrid e o único jogador da história a vencer seis vezes a Liga dos Campeões e 12 vezes campeão espanhol, morreu nesta terça-feira, aos 88 anos.

Gento era atualmente presidente honorário do Real Madrid, cargo que herdou de seu grande amigo e companheiro de equipe Alfredo di Stéfano. Duas lendas que fizeram do Real Madrid uma máquina vencedora na Espanha e na Europa, conquistando cinco Champions League consecutivas, um marco que ninguém conseguiu igualar.

Gento deixou o Real Madrid e o futebol na temporada 1970-71, com 23 títulos oficiais, um recorde que só depois de mais de meio século Marcelo conseguiu igualar com a última conquista da Supercopa da Espanha. Quase duas décadas de futebol a todo vapor pela ala esquerda do Real Madrid, velocidade que lhe valeu o apelido de La Galerna del Cantábrico.

Para quem não o viu jogar, o vídeo abaixo vai fazer você perceber por que ele foi classificado como o melhor lateral esquerdo do mundo. Velocidade, dribles e muitos gols ao serviço da equipe do Real Madrid.

Comunicado Oficial do falecimento

O Real Madrid CF, o seu presidente e o seu Conselho de Administração lamentam profundamente a morte de Francisco Gento, presidente honorário do Real Madrid e uma das maiores lendas do nosso clube e do futebol mundial.

O Real Madrid deseja expressar as suas condolências e o seu amor e carinho à sua esposa Mari Luz, aos seus filhos Francisco e Julio, às suas netas Aitana e Candela e a todos os seus familiares, colegas e entes queridos.

Continue Lendo

Mais Lidas