SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Educação

PM abre inscrições em creche e colégios na Bahia

As inscrições poderão ser feitas até 13h do dia 21 de janeiro

Publicado

em

Abriram nesta segunda-feira (17) as inscrições para o processo seletivo da Polícia Militar da Bahia (PM-BA) para a creche e para os colégios administrados pela corporação de todo estado.
Foto: Divulgação

Abriram nesta segunda-feira (17) as inscrições para o processo seletivo da Polícia Militar da Bahia (PM-BA) para a creche e para os colégios administrados pela corporação de todo estado.

As inscrições poderão ser feitas a partir de 10h do dia 17 até 13h do dia 21 de janeiro, através dos sites da Polícia Militar e da Secretaria de Educação do Estado. O sorteio eletrônico está previsto para o dia 27 de janeiro, às 10h. As matrículas dos alunos sorteados ocorrerão no período de 02 a 05 de fevereiro.

De acordo com o Diário Oficial do Estado do sábado (15), para a creche são abertas 30 vagas. 70% serão destinadas ao grupo composto por filhos de policiais militares, bombeiros militares e servidores públicos civis da PM e dos Corpo de Bombeiros Militar (CBMBA). Enquanto 30% serão abertas para o público em geral. Podem concorrer às vagas da creche, crianças nascidas entre 1º de abril de 2016 e 31 de março de 2020, no entanto a maioria das vagas são para crianças de 2 anos.

Já para os colégios da Polícia Militar (CPM) serão disponibilizadas 2.973 vagas em toda a Bahia. Serão 2.484 para o Ensino Fundamental e outras 489 para o Ensino Médio. [Veja abaixo a distribuição de vagas por unidade]

Para as unidades localizadas em Salvador (Dendezeiros, Lobato, Ribeira, Luiz Tarquínio e Cajazeiras), a distribuição de vagas será semelhante à da creche, com 70% destas destinadas a filhos de policiais militares, bombeiros militares ou servidores públicos civis da PM e dos Corpo de Bombeiros Militar (CBMBA) e 30% para o público em geral.

ANÚNCIO

Já para os CPMs de Alagoinhas, Barreiras, Candeias, Feira de Santana, Ilhéus, Itabuna, Jequié, Juazeiro, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista, a distribuição de vagas será de 50% para o grupo de militares ou servidos públicos da PM e CBMBA e 50% para o público em geral.

 

Educação

Setre abre vagas de cursos para jovens em vunerabilidade

As inscrições podem ser feitas gratuitamente, até 25 de maio

Publicado

em

A Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), em parceria com a Associação para Promoção da Diversidade Sociocultural e Ambiental – Pontos Diversos, abriu 200 vagas gratuitas para cursos de formação profissional.   
Foto: Divulgação

A Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), em parceria com a Associação para Promoção da Diversidade Sociocultural e Ambiental – Pontos Diversos, abriu 200 vagas gratuitas para cursos de formação profissional.

Os cursos, nas áreas de tecnologia de formação e inclusão no mundo do trabalho, financiados pelo Fundo de Promoção do Trabalho Decente (Funtrad), têm como público-alvo jovens de 18 a 29 anos, em situação de vulnerabilidade social.

As inscrições podem ser feitas gratuitamente, até 25 de maio, no site através do link, e para mais informações, os interessados devem enviar mensagem para: contatos@pontosdiversos.org.

Para participar, é necessário possuir Carteira de Trabalho e ter disponibilidade de duas noites por semana, para participar do projeto de forma on-line. São mentorias, com duração de nove meses, para o amadurecimento do projeto de vida e carreira das pessoas participantes. Ao final, elas passarão a integrar o banco de talentos da organização social e poderão ser encaminhadas para vagas de emprego de acordo com o seu perfil.

ANÚNCIO

Para a diretora e vice-presidente da Pontos Diversos, Carolina Barreto, “a iniciativa busca empoderar a juventude, principalmente, aquelas pessoas vulnerabilizadas pelas desigualdades sociais, e enriquecer o nosso banco de talentos para que possamos contribuir com novas travessias no mundo do trabalho, com base nos direitos sociais e nos sonhos”.

Funtrad

O fundo de natureza contábil-financeira é ligado à Setre, com intuito é captar recursos para colaborar na implementação de ações de fomento ao Trabalho Decente. As principais fontes de recursos são destinações de Termos de Ajustamento de Conduta e de indenizações por dano moral coletivo, decorrentes da atuação do Ministério Público do Trabalho e da Justiça do Trabalho. A aplicação dos recursos é decidida pelo Conselho Deliberativo de composição multipartite.

Continue Lendo

Educação

Texto-base sobre homeschooling é aprovado na Câmara

Para usufruir da educação domiciliar, o estudante deverá estar regularmente matriculado em uma instituição de ensino

Publicado

em

A Câmara de Deputados aprovou na noite de quarta-feira (18) o texto-base do projeto de lei (PL) 3.179/2012, que regulamenta a prática da educação domiciliar no Brasil, também conhecida como homeschooling.
Foto: Arquivo pessoal

A Câmara de Deputados aprovou na noite de quarta-feira (18) o texto-base do projeto de lei (PL) 3.179/2012, que regulamenta a prática da educação domiciliar no Brasil, também conhecida como homeschooling.

Os destaques serão analisados nesta quinta-feira (19). Para usufruir da educação domiciliar, o estudante deverá estar regularmente matriculado em uma instituição de ensino, que acompanhará o desenvolvimento educacional durante o ensino.

Uma das exigências é que pelo menos um dos pais ou responsáveis tenha escolaridade de nível superior ou profissional tecnológica reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Outro requisito é a certidão negativa perante as justiças federal e estadual (o distrital).

Ensino em casa

Os pais interessados em ensinar os filhos em casa deverão seguir a Base Nacional Comum Curricular definida pelo MEC. Além disso, poderão ser incluídas matérias e disciplinas adicionais à rotina de ensino.

ANÚNCIO

Os responsáveis terão de garantir a convivência familiar e comunitária do estudante e a realização de atividades pedagógicas para promover a formação integral do estudante, contemplando seu desenvolvimento intelectual, emocional, físico, social e cultural.

Será de responsabilidade dos pais manterem registros periódicos das atividades e encaminhar, na forma de relatórios, à instituição de ensino na qual o aluno está matriculado. O aluno também deverá participar de avaliações anuais de aprendizagem durante o ciclo de educação básica.

Nos ensinos fundamental e médio, além desses relatórios, deverá haver avaliação anual com base no conteúdo curricular, admitida a possibilidade de avanço nos cursos e nas séries, conforme previsto na Lei de Diretrizes e Bases (LDB).

Se o desempenho do estudante nessa avaliação anual for considerado insatisfatório, uma nova avaliação, em caráter de recuperação, será oferecida no mesmo ano.

ANÚNCIO
Continue Lendo

Educação

Programa Mais Estudo oferta 52 mil vagas de monitoria

A iniciativa do Governo do Estado oferta uma bolsa mensal no valor de R$ 100 para os estudantes monitores

Publicado

em

Fotos: Camila Souza/GOVBA

Lançado no dia 11 de maio, o novo edital do programa Mais Estudo oferece 52 mil vagas para alunos da rede estadual que possam dar monitoria aos colegas nas disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Iniciação Científica. A iniciativa do Governo do Estado, executada através da Secretaria de Educação (SEC), oferta uma bolsa mensal no valor de R$ 100 para os estudantes monitores, durante os seis meses de vigência do edital, totalizando em um investimento de mais de R$ 31 milhões. O objetivo é estimular a participação estudantil no processo educacional, além de contribuir para o exercício solidário e práticas inovadoras de aprendizagem.

As escolas que tenham interesse de participar do programa devem atualizar os dados de cadastro no Sistema de Gestão do Mais Estudo, pelo link. No período de 16 a 27 de maio de 2022, as unidades escolares são responsáveis por realizar o processo de seleção. Para participar, os estudantes só precisam estar regularmente matriculados na rede estadual, possuir cadastro de Pessoal Física (CPF) regularizado e ter tido média igual ou superior a 8,0, no ano anterior, na matéria que deseja lecionar.

De acordo com Manoel Calazans, superintendente de Políticas para a Educação Básica da SEC, o processo de ensinar ajuda os alunos a assimilar os conteúdos. “O programa Mais Estudo permite uma aprendizagem horizontal, que não se processa apenas através do professor e dos livros para o estudante, mas entre os próprios estudantes. Já se sabe que essa aprendizagem é muito efetiva e afetiva também, porque diz respeito a estar com o outro colega, que fala a mesma linguagem e que, muitas vezes, é seu vizinho. O monitor é o estudante que consegue articular, fazer revisão e auxiliar o colega que tem dificuldade em aprender”, relata.

Manoel Calazans, superintendente de Políticas para a Educação Básica da SEC

Manoel ressalta ainda que, atuando como monitor, o aluno ocupa uma posição de aprendizado constante. “Os educadores defendem que, quanto mais você ensina, mas existe a possibilidade de fixar o conteúdo ensinado. Isso é um aspecto positivo no estudante que é monitor, pois ele vai revisar e aprender muito também. A monitoria não substitui a presença do professor, pelo contrário, o professor está presente e ainda é o grande responsável pela aprendizagem”.

De São Sebastião do Passé, o estudante Carsten Santos participa do Programa desde a primeira edição. Para ele, a monitoria também é uma oportunidade de aprendizado. “Para ensinar, a gente estuda mais e vai se esforçando para dominar bem os conteúdos, lendo e relendo os assuntos. No fim das contas, aprendamos enquanto estamos ensinando, o que é uma experiência muito boa. Sem contar que a bolsa é uma ajuda boa para quem é estudante”.

ANÚNCIO

Continue Lendo

Mais Lidas