SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Cultura

Morre Mestre Barba Branca

O sepultamento de um dos maiores nomes da capoeira de Angola ocorre hoje (14), às 16h30, no Cemitério Bosque da Paz

Publicado

em

Um dos mais importantes representantes da capoeira na Bahia, Mestre Barba Branca, morreu neste sábado (13), aos 64 anos em Salvador.
Foto: Arquivo Pessoal

Um dos mais importantes representantes da capoeira na Bahia, Mestre Barba Branca, morreu neste sábado (13), aos 64 anos em Salvador. Ele estava internado, tratando problemas decorrentes de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), ocorrido em 2019.

Gilberto Reis Ferreira dos Santos Filho, era natural de Salvador e foi iniciado na capoeira aos 13 anos pelo Mestre Traíra. Foi também aluno do Mestre João Pequeno. Barba Branca foi um dos fundadores e ex-presidente da Associação Brasileira de Capoeira de Angola (ABCA) e levou capoeira de Angola para diversos países como Argentina, Uruguai e França, onde o Grupo de Capoeira Angola do Cabula, fundado por ele, possui uma filial em Lyon.

Um registro de Mestre Barba Branca em ação no Terreiro de Jesus com outros grandes mestres, como Gildo Alfinete, Moa do Katende, Vermelho, Bola Sete, Pele de Bomba, Nenel e outros.

O Mestre Barba Branca também possuía uma preocupação com o social e firmou uma parceria com o Terreiro Ilê Axé Opó Afonjá, na época com a ialorixá Mãe Stella de Oxóssi, para ensinar capoeira às crianças e adolescentes do bairro de São Gonçalo.

Gilberto Reis deixa esposa, três filhos, além de um grande legado para a capoeira. O sepultamento ocorre neste domingo (14), às 16h30, no Cemitério Bosque da Paz.

Cultura

Daniela não vai participar do Carnaval 2022

A cantora anunciou que estará fora das festas de rua, abertas ao público, por conta das incertezas da Covid-19

Publicado

em

2022 ainda é dúvida, mas uma das grandes estrelas da festa já decidiu que não irá participar. Nesta sexta-feira (3), a cantora Daniela Mercury
Foto: Reprodução Instagram

A realização do Carnaval 2022 ainda é dúvida, mas uma das grandes estrelas da festa já decidiu que não irá participar. Nesta sexta-feira (3), a cantora Daniela Mercury anunciou que estará fora das festas de rua, abertas ao público, justamente por conta das incertezas da pandemia da Covid-19.

“Sinto muito em anunciar isso, mas avaliamos bem a situação e chegamos à conclusão que o cenário é muito incerto”, informou a cantora.

Na nota, Daniela informou que mesmo sem o anúncio oficial de cancelamento da festa, ela considera que na Bahia, o governo e a prefeitura de Salvador não vão realizar o carnaval no próximo ano.

Disse ainda que apesar de estar mantido o carnaval de São Paulo e a Pipoca da Rainha ser tão tradicional na folia paulistana, ela não vai desfilar em 2022.

Caso seja mantida a liberação das autoridades sanitárias, a cantora informou que vai tentar realizar shows e eventos durante o verão, sempre com limitação de público e com a exigência das duas doses da vacina contra Covid-19.

A artista lançou nesta sexta-feira, em todas as plataformas digitais, a música “As Rendas do Mar” uma homenagem a todas as mulheres na figura de Iemanjá.

Continue Lendo

Cultura

Largos do Pelô retomam as atividades culturais

O palco do Largo Pedro Archanjo recebe o sambista Walmir Lima, um dos artistas mais conceituados da Bahia

Publicado

em

Paralisadas desde março de 2020, por conta da pandemia da Covid-19, as apresentações nos largos do Pelô serão retomadas a partir
Foto Tacila Mendes

Paralisadas desde março de 2020, por conta da pandemia da Covid-19, as apresentações nos largos do Pelô serão retomadas a partir desta sexta-feira (3). A programação é gratuita e coloca em destaque neste primeiro fim de semana de shows, o samba e a música instrumental.

Na sexta-feira (3), o palco do Largo Pedro Archanjo recebe o sambista Walmir Lima, um dos artistas mais conceituados da Bahia, que neste ano completou 90 anos de idade. Conservando muita energia e amor pelo samba, o artista irá se apresentar a partir das 19h. Na mesma noite, o músico Parah Monteiro coloca a sua guitarra baiana para fazer o Largo Quincas Berro D’Água voltar a ferver, também às 19h.

Protocolos

O acesso do público aos largos do Pelourinho está condicionado à capacidade definida de acordo com o decreto estadual 20.013, de 29 de novembro de 2021, limitando-se ao quantitativo de 500 pessoas. É preciso comprovar as duas doses da vacinação contra a Covid-19 ou dose única, mediante apresentação do documento de vacinação fornecido no momento da vacinação ou do Certificado Covid, de preferência impresso, obtido por do aplicativo Conecte SUS, do Ministério da Saúde, ou dos links conectesus.saude.gov.br e cvd.saude.salvador.ba.gov.br (para residentes/vacinados no município de Salvador), e o documento de identificação com foto.

O uso de máscara facial (cobrindo a boca e o nariz) é obrigatório durante o período de permanência nos largos. É proibida a venda e consumo de alimentos e bebidas para quem não estiver em cumprimento do protocolo para bares e restaurantes de acordo com o decreto municipal 34.424 de 10 de setembro de 2021 (público sentado).

Programação – Pelourinho (3 a 5/12)

Walmir Lima
Quando: 3/12, às 19h
Onde: Largo Pedro Archanjo

Parah Monteiro
Quando: 3/12, às 19h
Onde: Largo Quincas Berro D’Água

Sangue Brasileiro
Quando: 4/12, às 16h
Onde: Largo Pedro Archanjo

Gal do Beco
Quando: 4/12, às 18h30
Onde: Largo Pedro Archanjo

Salada Mista
Quando: 4/12, às 16h
Onde: Largo Quincas Berro D’Água

Conexão Negra
Quando: 4/12, às 18h30
Onde: Largo Quincas Berro D’Água

Os Ingênuos
Quando: 5/12, às 16h
Onde: Largo Pedro Archanjo

Grupo Casa 4
Quando: 5/12, às 16h
Onde: Quincas Berro D’Água

Fonte: Ascom/Secult

Continue Lendo

Cultura

Terreiro promove festival cultural em Cajazeiras

Pela primeira vez, a programação será aberta ao público e seguirá todos os protocolos de segurança contra a Covid-19

Publicado

em

A 15ª edição do Sòkpè – Festival Cultural da Pedra do Trovão, realizado pelo terreiro Vodún Kwe Tò Zò, acontece de 10 a 12 de dezembro, a partir das 10h,

A 15ª edição do Sòkpè – Festival Cultural da Pedra do Trovão, realizado pelo terreiro Vodún Kwe Tò Zò, acontece de 10 a 12 de dezembro, a partir das 10h, na Rua Professora Julieta Fahel Guimarães, na Travessa do Sossego, 180 A, no bairro da Fazenda Grande II.

O festival afro-brasileiro tem como objetivo promover práticas culturais coletivas que contribuirão nas ações religiosas, culturais e socioambientais. Pela primeira vez, a programação será aberta ao público em geral e a expectativa é que cerca de 350 pessoas passem diariamente pelo evento. O festival seguirá todos os protocolos de segurança contra a Covid-19.

Dentre as atividades culturais estão programadas palestras, rodas de capoeira, rodas de conversa, workshop etnogastronômico, trilha ecocultural pela área verde do terreiro e uma roda de samba com o grupo Barlavento, com a participação das Sambadeiras de Cajazeiras e do Quadrado de Mutá. Além disso, durante os dias de festival, o tabuleiro do Tò Zò também estará funcionando e o público poderá adquirir quitutes afro-brasileiros.

“Temos uma expectativa de que essa 15ª edição do Festival seja repercutida e se torne um indicador de força da região de Cajazeiras como um grande propulsor cultural da cidade. Além disso, esperamos a aceitação e engajamento de toda a população, e que, futuramente, o festival seja incluído no calendário cultural de Salvador”, disse a idealizadora do festival e sacerdotisa do Terreiro, Gayaku Sinay.

O evento tem o apoio da Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) e da Fundação Gregório de Mattos (FGM).

Continue Lendo

Mais Lidas